Eliana Maria Nigro Rocha

 e-gagueira.com.br

 

Psicomotricidade


          Assim que iniciei a atuar em terapia fonoaudiológica, mais especificamente com gagueira, constatei que necessitava de algo mais do que o obtido na graduação em Fonoaudiologia. Embora todo o aprendizado efetivo fosse de primeira categoria e altamente atualizado, o contato direto com o indivíduo que gagueja fez-me perceber a presença marcada do corpo, do intelecto e do emocional em qualquer produção de fala e a necessidade de aprofundar meus conhecimentos nessas áreas.

          Foi assim que iniciei meus estudos em Psicomotricidade.

          Muitas pessoas possuem uma visão restrita e inadequada da Psicomotricidade, entendendo-a como sinônimo dos exercícios visomotores utilizados na pré-escola, uma vez que essa pequena faceta foi bastante divulgada há algumas décadas atrás. Por isto é importante rever esses conceitos, e saber que, segundo a Sociedade Brasileira de Psicomotricidade:

          Psicomotricidade é a ciência que tem como objeto de estudo o homem através do seu corpo em movimento e em relação ao seu mundo interno e externo.
          Está relacionada ao processo de maturação, onde o corpo é a origem das aquisições cognitivas, afetivas e orgânicas. É sustentada por três conhecimentos básicos: o movimento, o intelecto e o afeto.
          Psicomotricidade, portanto, é um termo empregado para uma concepção de movimento organizado e integrado, em função das experiências vividas pelo sujeito cuja ação é resultante de sua individualidade, sua linguagem e sua socialização.


          Ou seja, Psicomotricidade se refere à profunda integração entre o movimento, o intelecto e o afeto que ocorrem no corpo do indivíduo, que permite que ele se perceba, atue e se expresse no mundo. Fica implícita nessa afirmação que uma abordagem que busque favorecer a fluência de fala, não pode se fixar em reeducar movimentos articulatórios ou respiratórios, nem sequer buscar sanar supostos problemas emocionais que perturbam o indivíduo, mas que deve visualizar o indivíduo como um todo e dentro desse todo, elencar os aspectos viáveis de serem fortalecidos ou modificados.

          Meu primeiro contato com a Psicomotricidade foi através da formação em Psicomotricidade Ramain, uma abordagem de origem francesa criada por Simonne Ramain e difundida no Brasil através da própria, que posteriormente legou a Solange Thiers sua coordenação.
          Leia mais a respeito em Psicomotricidade
 Ramain

          Muitos anos depois, acompanhando as inovações que Solange Thiers fornecera à abordagem tradicional do Ramain, ao embasar psicanaliticamente sua atuação, iniciei nova formação, em Sócio-Psicomotricidade Ramain-Thiers.

          No término do curso apresentei a monografia na qual faço um estudo das transformações na história da Psicomotricidade, em um desejo de entender o processo que foi norteando seus momentos. A conclusão a que chego é sobre a amplitude da abordagem Ramain-Thiers que, sem abandonar os enfoques da visão tradicional, fortalece-os com uma visão ainda mais ampla do que a anterior, agregando os aspectos psicanalíticos e sociais.

          É um grande conforto constatar que a Fonoaudiologia, cada vez mais, também chega a essa visão integrada do indivíduo, o que facilita sobremaneira meu trabalho clínico, no qual busco atuar de modo coeso, sob um enfoque amplo e abrangente.

          Acesse a monografia de conclusão do curso em Sócio-Psicomotricidade
 Ramain-Thiers